Stress é a palavra de ordem no meio empresarial. O Presidente da empresa se estressa com o Diretor, que se estressa com o Chefe do Departamento, que se estressa com o subordinado, que por sua vez se estressa com a esposa em casa etc etc etc. Este círculo vicioso gerado pelo stress no trabalho pode acarretar sérias consequências ao trabalhador, uma delas é o burnout.

O Burnout (do inglês, to burn out, queimar por completo) é uma consequência grave do esgotamento pessoal no trabalho. É causado, geralmente, pela exaustão emocional, mental e física do empregado, quando exposto à situações de stress extremo. Alguns fatores importantes podem influenciar neste processo de cansaço mental, veja:

  • Nível de stress elevado;
  • Pressão excessiva por parte dos superiores;
  • Dedicação excessiva ao trabalho (inclusive nos finais de semana);
  • Avaliação negativa de si mesmo (no trabalho e na vida pessoal);
  • Depressão.

Estes fatores combinados geram uma fórmula explosiva, que vai muito além do stress natural que todos temos no trabalho. É algo que beira à situação vegetativa, incontrolável, o esgotamento mental. A pessoa não tem vontade de fazer mais nada, perde o interesse rapidamente e não quer mais contribuir com nada, apenas continuar “vegetando”.

Este estado psicológico pode, também, ter conseqüências físicas, deixando seu corpo vulnerável a certas doenças, como gripes e resfriados. Por isso, é extremamente importante saber como lidar com este tipo de situação.

Alguns sintomas da síndrome de burnout são:

  • Falta de motivação para suas atividades diárias (tudo é chato e desgastante);
  • Cansaço o dia todo;
  • Sentimento de que nada do que você faz é relevante;
  • Falta de sensibilidade com a pessoas ao redor;
  • Irritabilidade excessiva com coisas, pessoas e procedimentos;

Mas fique calmo, este estado psicológico não é irreversível. Existem diversas maneiras de se afastar deste mal. Abaixo, seguem algumas dicas dada pelo site Helpguide, no artigo Preventing Burnout – Signs, Symptoms, Causes and Coping Strategies, para ajudar as pessoas a prevenir o burnout, veja só:

  • Comece o dia com um ritual relaxante – Levante da cama o mais cedo que puder, gaste no mínimo 15 minutos meditando, fazendo alongamentos suaves ou lendo algo que realmente te inspire;
  • Adote hábitos saudáveis – Quando você se alimenta bem, faz atividades físicas regularmente e descansa, você ganha energia e resiliência para lidar com as dificuldades da vida;
  • Estabeleça limites – Não se exceda. Aprenda a dizer “não” às solicitações do seu tempo. Se você achar difícil, lembre-se que dizer “não” lhe permite dizer “sim” para as coisas que você realmente quer fazer;
  • Esqueça a tecnologia por um tempo – Dê um tempo a si mesmo para estar completamente desconectado. Deslige seu laptop, celular e pare de checar os e-mails recebidos;
  • Alimente o seu lado criativo – Criatividade é um poderoso antídoto contra o burnout. Tente algo novo, comece um projeto divertido ou retome seu hobby favorito. Escolha atividades que não tenham nada a ver com seu trabalho;
  • Aprenda a gerenciar o stress – Quando você está no caminho do burnout, você se sente desamparado. Mas você tem muito mais controle sobre o stress do que imagina. Aprender a gerenciar o stress pode lhe ajudar a reaver o seu equilíbrio.

Porém, o mais indicado é que as pessoas que sofrem deste mal procurem profissionais habilitados que os auxiliem a enfrentar este momento delicado em suas vidas. Ou, no caso de uma situação insustentável no trabalho, que estas pessoas comecem a repensar sua situação enquanto funcionários. Talvez, a melhor forma de se livrar desta situação seja mesmo a mudança de emprego.

No mais, recomendamos que você tenha uma vida saudável, com bons pensamentos, fazendo atividades que o alegre, mantendo um bom convívio com as pessoas que você ama e tendo um pouco de calma e paciência com as adversidades da vida. Pode apostar, isso já será um excelente começo! 😉

4 COMENTÁRIOS

  1. Eu adicionaria a essas dicas uma bem importante:

    * Beba muita água durante o dia! – É muito importante manter o corpo bem hidratado para bom funcionamento e aqueles minutos parados podem te render uma boa solução para um problema que parecia impossível.

  2. O maior problema de quem sofre de "BurnOut" é justamente não aceitá-lo.
    Invariavelmente estas pessoas apresentarão uma lista de razões lógicas explicando o motivo de não ter tempo de seguir as "dicas" citadas.
    Acredito que vivemos em uma cultura que cultua a "imagem", ou aquela idéia americana do "Winner or Looser". Vivemos para os outros, para lhe dizer a verdade. Sentimos necessidades de ir trabalhar não naquele carro pequeno, mas num SVU como um Tucson. Temos de aparecer de Terno e Gravata, ou ostentando várias coisas que a sociedade acha interessante. Infelizmente é esta a nossa cultura.
    Junto a as necessidades impostas pela sociedade, vem os efeitos colaterais, sendo um deles o motivo deste post.
    Particulamente acho que com a falta da presença da família e até mesmo da escola, estamos, nossos filhos ou até mesmo nós, sendo educados pelos computadores, pelas redes sociais e vamos seguindo os paradigmas ditados pela internet.
    No meu caso quase me enveredei por este mundo, mas por razões particulares, nunca me dei bem com o fato de ser subordinado, se aceitar humores de chefes, cumprir metas, etc. Isto me trouxe diversas decepções pois eu "não me encaixava". O que fiz então? Tomei novo rumo: resolví trabalhar por conta própria.
    Atualmente posso sair de casa apenas quando acho que o transito está mais traquilo e só volta da mesma forma de modo que, na maioria das vezes. saio de casa as 10 da manhã e retorno as 20hs da noite. Também adotei a postura de JAMAIS trabalhar aos finais de semana. O segredo para isto? Planejamento. Pois acho, durante a semana, tempo para as coisas mais urgentes.
    Uso terno e gravata quando estritamente necessário. Carro então, é mito para mim, prefiro ônibus.
    Atualmente produzo mais e em menos tempo pois com a "cabeça fresca" meu serviço rede bastante e, trabalhando para mim mesmo me empenho ainda mais.
    O mais curioso é que o que me levou a ter este estilo de vida não foi somente as decepções passadas, mas um motivo de saúde, já que sou diabético e, durante estes anos, todo diabético workaholic que conheci trabalhou, trabalhou e acabou sofrendo as conseguências da doença, terminando em uma morte lenta e dolorosa, pouco aproveitando do dinheiro ganho.
    Bem, no meu caso, precisei deste "choque" para achar meu caminho, mas quem dera que outros usassem o bom senso e procurasse trilhar o melhor caminho sem maiores problemas.

  3. Pelo que eu li nesse artigo, é muito semelhante a como eu estava me sentindo no trabalho. A coisa foi tão severa que eu pedi demissão pra vê se tinha uma pouco de paz e melhorava minha qualidade de vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here