Seja qual for a sua área de atuação, a melhor maneira de se destacar no mercado é concorrer em valor, e não em preço: quem defende a teoria é Sandra Wear, fundadora das empresas The DocSpace Company e Atalum Wireless e colunista da Inc.

Para derrotar seus competidores sem precisar mexer nos preços, é necessário seguir três regras básicas:

1. Transforme seu público-alvo no seu melhor amigo. 

Para competir em valor, o primeiro passo é saber tudo sobre o seu público-alvo. Trate-o como seu fosse um amigo querido, sobre quem você quer ter todas as informações possíveis. Algumas perguntas podem ser úteis nesse processo. Para começar, quem é o seu público-alvo? Como ele vai usar seu produto ou serviço? Como ele decide o que comprar? O que pensa dos seus concorrentes? É fundamental responder essas questões, recorrendo a artigos, pesquisas, posts em redes sociais, relatórios, palestras, conversas com consultores etc. E depois analisar em detalhes todo esse material.

2. Crie uma proposta de valor que traga benefícios para o cliente, e faça dela a sua missão.

Não se trata de colocar uma placa na parede, com metas vagas e genéricas. A proposta de valor deve ser algo muito específico, que cole no seu produto e traga benefícios concretos para os clientes. Todos na sua organização devem conhecer a proposta de valor e se guiar por ela. A proposta precisa ser comunicada de maneira consistente em tudo que sua companhia faz, desde o material de marketing até a publicidade, passando pela fala de seus executivos. Só assim você construirá uma marca forte – e vendável.

3. Entregue o que prometeu, custe o que custar. 

Cheque com os consumidores se a promessa está sendo cumprida. A sua proposta de valor trouxe benefícios para os consumidores? É algo palpável, com o que eles conseguem se identificar? O valor criado pela marca faz com que os clientes se vejam nela? Em outras palavras: eles estão recebendo o que você prometeu? Se a resposta para alguma dessas perguntas for NÃO, corra atrás do prejuízo, corrigindo as falhas e cuidando da satisfação do cliente. Dessa maneira, ele nem vai lembrar que existem concorrentes…

Fonte: Papo de Empresário

6 COMENTÁRIOS

  1. Moro em uma cidade de mais 3.150 habitantes, trabalho numa loja de material para construção, aqui a maioria das pessoas trabalham na area rural e o indice de inadimplencia na loja é grande. No inicio do ano de 2012 abriram outra loja de material aqui, com isso as vendas cairam um pouco, a loja q abriu é pequena e seu custo é baixo, trabalho numa loja maior onde o custo é alto. Como alavanco as vendas e diminuo a inadimplencia? Alem dessas tres regras basicas.

  2. Ótimo post, acho que a melhor maneira de acabar com a concorrência é acreditar em seu potêncial e não demosntrar medo diante dos adversários. A concorrência mostra exatamente a sua capacidade e se sua empresa tem o valor que merece quando a encaramos.

    • Isso mesmo, Dâmaris! A empresa precisa acreditar que pode vencer a concorrência e investir em melhorias constantes para atingir o sucesso. Obrigado por seu comentário Volte sempre! Um abraço!

  3. muitas vezes nos perguntamos porque ser diferente e lhe respondo porque os iguas sao comparados entao vc vai dividir uma parte e o diferente nao tem concorente entao seja criativo

    • Gustavo , muito bom seu ponto de vista entre esses três ” princípios ” , tenho um Mercado em um bairro longe do centro da cidade , porém tenho 6 concorrentes perto da minha loja , seria legal eu consultar os preços de vendas de produtos de frente , por exemplo Coca – cola 2l , Maionese Hellmans 500g , Omo Multiação 1kg e entre outras produtos de linha de frente pra que eu venha ter preços mais baratos ? rs
      essa é minha duvida , poderia me dar uma luz ? Abraço
      Seu Blog é campeão , esta de parabéns .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here