Olá pessoal,
Esta semana, estava conversando com um amigo meu sobre cinema e depois de muito discutir, nos demos conta que estávamos falando sobre sucesso profissional (que não tinha nada a ver com o assunto inicial). Acontece que, no meio da conversa, os dois assuntos se uniram e eis que surgiu a idéia para um texto mais “extrovertido” e simples aqui no blog.

Os filmes (nem tão recentes) do Homem-Aranha possuem algumas lições que podem ser adaptadas para nosso dia-dia profissional. Essas lições podem ser observadas no desenrolar das conhecidíssimas aventuras de Peter Parker e sua vida como super-herói, no cinema e nos quadrinhos.

Apesar de não ser um aficionado nem por cinema, nem por quadrinhos, tentarei expor três dessas observações às quais não é preciso ser profundo conhecedor do personagem para compreender. Me perdoem algum erro acerca das informações do personagem em si, aqueles que são verdadeiras “enciclopédias” sobre o herói.

Lição 1: Ouça os mais experientes

Como sabemos, o Homem-Aranha possui uma força sobre humana, sem falar de todas as habilidades e poderes de aranha: lançar teias, escalar paredes, instinto super apurado, dentre outras coisas. Apesar disso, sempre que o herói se encontra com dúvidas ouve sua frágil e doce Tia May que, quase sempre, dá conselhos que resolvem seus conflitos. Ou seja, apesar de toda sua competência, habilidade e conhecimento na luta contra o crime, a experiência de sua Tia May supera todos os super-poderes do herói.

Assim é também em nossa vida profissional. Apesar de sua capacidade técnica, conhecimentos, habilidades ou capacitação, é importante que não cometa o erro de achar que esses “poderes” o fazem superior àqueles mais experientes, mesmo que esses, aparentemente, não tenham tais poderes.

Licão 2: Seja profissional

Peter Parker possui uma paixão, inicialmente platônica, por sua amiga de infância Mary Jane e, como Homem-Aranha, consegue finalmente conquistar seu amor. Porém, isso não é tão fácil quanto parece, uma vez que Peter se encontra sempre entre seus deveres como super-herói e a segurança do amor de Mary Jane. Muitas vezes, o herói se encontra entre assistir a peça teatral de sua garota e alguma ameaça aos habitantes (pessoas que nem conhece) da cidade. E, na maioria das vezes, seu dever como super-heroi fala mais alto.

Mas calma, gente. Não estou afirmando que devemos abandonar nossas familias, namoradas, noivas ou esposas, fazer horas-extras, trabalhar no final de semana, ou o que quer que seja, para fazer um relatório, tomar uma decisão na empresa ou conferir se alguma documentação está errada. O que quero frisar aqui é o COMPROMETIMENTO COM SEU TRABALHO (nas devidas proporções), responsabilidade com prazos e com seus superiores e subordinados. Ou seja, realmente estar disposto a fazer as coisas acontecerem em seu trabalho, e não ficar alheio a ele.

Licão 3: Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades

A terceira e última lição vai, de certo modo, ao encontro da primeira. Ela é citada pelo Tio Ben, tio de Peter, cujas sábias contribuições nos foram dadas logo na primeira sequência da história.

Quantos sonham com promoções, reconhecimento do chefe, autonomia de trabalho ou projetos desafiadores? Com certeza todos que lêem esse artigo! Porém, nem todos estão preparados para assumir tais responsabilidades. Autonomia, reconhecimento e desafios trazem cobranças mais severas e maior responsabilidade com o resultado final da organização. Um técnico tem menos “poder” que um coordenador, por exemplo, porém suas responsabilidades são exponencialmente maiores e cabem a quem assumí-las estar preparado para a oportunidade, ou como Tio Ben disse: poderes. Dessa forma, cabe ao gestor ter consciência e estar preparado para as grandes responsabilidades que vêm com o poder dentro da organização.

Sei que muitas destas dicas já foram apresentadas por diversas pessoas ou até mesmo pelo consenso geral, mas a comparação, até certo ponto extrovertida, com o super-herói é valida para dar uma contribuição, ainda que pequena, a vocês, leitores do blog. Espero que tenham gostado! Comentem!

3 COMENTÁRIOS

  1. Bem, se um nerd apaixonado por quadrinhos quiser ter sucesso profissional, achará o máximo este post. Mas, mesmo não curtindo quadrinhos e estas coisas achei muito útil.

    Exemplos lúdicos nos ajudam a fixar melhor idéias que, expostas de outra maneira poderiam soar como "chatas" e "caretas".

    Faço este comentário pois, há alguns dias li um post que tinha um mote "motivacional" que, particularmente considero coisa para gente de baixa estima e, que no final das contas não dá em nada mesmo para as pessoas de baixa estima. Já este, com exemplo que permeia a infância e juventude da maioria soou-me bem melhor.

    Achei um filão interessante e, fica a sugestão de,sempre que possível, colocar uma ou outra postagem nesta linha.

    A geração y agradece!

    • Olá amigo @reinaldo_bh!
      Mais uma vez seu comentário engrandece nossa discussão.
      Gostei bastante da abordagem do Juliano neste post. Concordo com você quando diz que fixamos melhor o conhecimento quando ele é transmitido através de exemplos.
      É uma forma de prender nossa atenção e nos colocar dentro da história do post. Com certeza teremos outros posts nessa linha aqui.
      Mais uma vez obrigado pela participação!
      Grande abraço.

  2. Ola adorei o coméntario. esta aqui uma amante de filmes e estudante de administração. Por ver muitos filmes adoro contar o que aprendi sobre cada um deles, por isto achei que este seu coméntario foi bem produtivo,queria eu poder expor tudo que aprendi nos filmes de bom. Um simples trecho que me chamou a atenção foi a lição de num. 2, porque espero sempre sucesso proficional e luto bastante por isso!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here