A economia britânica cresceu mais do que o inicialmente previsto no segundo trimestre de 2010, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (27).

A economia registrou crescimento de 1,2% no período, o ritmo mais acelerado de expansão em três mestres desde o primeiro trimestre de 2001.

O Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês) previa um crescimento de 1,1%. O setor que puxou o crescimento no trimestre para cima foi a construção civil, com aumento de 8,5%. Estimava-se que o setor cresceria 6,6%.

A indústria com pior desempenho foi a de transporte aéreo, com queda de 11% no trimestre.

A diretora do ONS, Aileen Simkins, disse que o setor sofreu com a crise aérea provocada pelas cinzas vulcânicas, em abril, e por uma greve da British Airways.

Gastos públicos

A economia britânica tenta se recuperar da crise financeira global, que provocou uma recessão no país em 2008 e 2009. Há temores entre os economistas que a Grã-Bretanha passe por um repique recessivo – quando a economia volta a entrar em uma recessão logo após se recuperar de outra.

O governo britânico do primeiro-ministro David Cameron, eleito em maio, promete combater os efeitos da crise com corte nos gastos públicos, que serão detalhados em outubro.

Apesar dos bons números anunciados nesta sexta-feira, o governo afirmou que continuará com sua política de cortes de gasto público.

“Enquanto o governo ainda está otimista de forma cautelosa sobre a recuperação da economia, o trabalho ainda não terminou”, disse um porta-voz do Tesouro britânico.

“A prioridade ainda é implementar as políticas de orçamento que apoiam o reequilíbrio e ajudam a garantir crescimento sustentável previsto para este ano e para o próximo.”

Mesmo com o resultado positivo da economia britânica, empresários acreditam que o ritmo de crescimento não é sustentável.

“Os números de hoje obviamente são boas notícias, mas não podemos nos empolgar”, disse Graeme Leach, do Institute of Directors.

“Em vez de olhar no retrovisor para o que passou, seria mais sábio mantermos nossos olhos na estrada em frente. Não espere este nível de crescimento se sustentando no segundo semestre de 2010.”

Para David Frost, diretor geral da Câmara Britânica de Comércio, os britânicos precisam ficar de olho na economia americana, que também enfrente uma recuperação lenta.

“Os Estados Unidos são o motor da economia global. A China está com um bom desempenho, mas os Estados Unidos têm papel fundamental em conduzir a economia mundial. Nós precisamos saber se o crescimento nos Estados Unidos voltarão ao ritmo certo”, disse Frost à BBC.

Dados sobre o segundo trimestre da economia americana devem ser divulgados ainda nesta sexta-feira. Economistas esperam que a previsão de crescimento anual de 2,4% seja revista para baixo.

FONTE: G1.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here