Quem me conhece sabe que sou um entusiasta do futebol americano, esporte que considero completo por requerer trabalho de equipe, especializações, talento físico e inteligência. Poucos esportes necessitam tanto destas características em seus times. E dentro do futebol americano existe uma posição que se assemelha muito ao gestor das empresas, é o Quarterback, o líder ofensivo.

Ele é responsável por ler a defesa adversária e chamar as jogadas, ele é o implementador da estratégia global do time, ou seja, é dele a incumbência de liderar, e neste cenário temos dois jogadores que são líderes natos em seus times: Payton Manning, QB dos Indianápolis Colts e Tom Brady, QB do New England Patriots.

Manning foi o primeiro jogador recrutado em seu ano de draft, já foi colocado desde o seu primeiro jogo como titular absoluto de um time da NFL, nas suas costas estava a liderança de toda uma equipe. Fazendo uma analogia ao mundo dos negócios, o que aconteceu com ele é o mesmo que acontece quando conseguimos recrutar para nossa empresa um excelente profissional que já entra em um cargo de liderança, ou mesmo o próprio empreendedor, que já inicia tendo toda a responsabilidade da liderança em sua pessoa.

No caso do Tom Brady foi diferente, ele não foi uma primeira escolha como o Payton Manning, nem mesmo iniciou sua carreira como titular absoluto. Porém, após seu ano de calouro, conseguiu uma vaga no time e o liderou a muitas conquistas, sendo o seu primeiro jogo uma vitória sobre Payton Manning, mostrando que muitas vezes podemos encontrar grandes líderes sendo subestimados dentro da própria empresa.

Dois caminhos diferentes que originaram dois grandes líderes. No primeiro caso, contrataram alguém para ocupar o cargo de liderança e no segundo, promoveram alguém para ocupar o cargo. Aqui não existe a melhor escolha e sim a escolha mais oportuna para o momento do time, ou da empresa.

Agora, vou citar algumas características comuns a estes atletas e que são importantes serem comuns também aos líderes de uma empresa, confira:

Exemplo: as pessoas tem que ter em você um exemplo de profissional.

Neste caso, Tom Brady e Payton Manning são exemplos vivos de que o trabalho duro e a busca pela perfeição são estímulos para a busca contínua de resultados dos jogadores à sua volta.

Comunicação: as pessoas tem que entender o que você deseja comunicar.

Assim como na implementação de uma estratégia em uma empresa, em uma jogada de ataque no futebol, todos os jogadores tem que entender perfeitamente o que vão fazer. Para chegarem neste nível, os líderes do time repassam exaustivamente cada código e cada jogada até todos entenderem todos os detalhes. Os líderes das empresas deveriam ter o mesmo cuidado com o que desejam comunicar a seus liderados.

Habilidade: Você deve ser capaz de conduzir as outras pessoas de forma perfeita.

Algo é inquestionável nestes atletas, sua habilidade dentro de campo. Eles são referenciais para todos os jogadores, o mesmo deve acontecer com o líder da empresa, ele deve ser o referencial para que os funcionários consigam legitimar seu potencial de condução.

Motivação: você tem que conseguir criar necessidades mesmo nas piores situações.

Payton Manning é conhecido por elevar a energia de seu time e conseguir viradas consideradas quase impossíveis sobre grandes times, a mesma energia cabe ao líder para não deixar a peteca cair, mesmo quando tudo parece ir contra.

Autoridade: Mais importante que a autoridade formal é quando seus funcionários a reconhecem naturalmente.

Estes jogadores possuem suas lideranças legitimadas por seus liderados, mais por sua competência em conduzir o time que por sua posição em campo. Por isso, mais importante que ter seu nome acima dos demais é ter seu reconhecimento como alguém que vai guiá-los a excelentes resultados.

Estratégia: Você precisa saber para onde está indo.

Ambos os jogadores podem mudar as jogadas de ataque que são mandadas por seus coordenadores ofensivos, isto ocorre porque os jogadores sabem que eles possuem uma estratégia bem fundamentada e aceitam as mudanças. Você também deve passar a segurança de estar seguindo um plano relevante e possível para seus colaboradores.

Amor e paixão pelo que faz: As pessoas se sentem bem junto a um líder que ama o que faz.

Estes jogadores são intensos, estudam cada jogada dos oponentes, viram noites procurando novas formas de serem mais eficientes e transformam os jogadores à sua volta. Você não pode cobrar paixão de seus funcionários se você não tem esta paixão, senão sua liderança é só hipocrisia.

E você, quais outros exemplos de líderes dentro de campo conhece? E por fim, quem é melhor em sua análise, Manning ou Brady? Deixe sua opinião, comente!

4 COMENTÁRIOS

  1. disse:Acho que os filmes e games deraviem ser independentes, pois se3o produe7f5es de segmentos diferentes. Existem ve1rios jogos que foram lane7ados juntos com os filmes e ne3o ficaram com boa qualidade, em virtude de cronogramas apertados. Essa estrate9gia sf3 funciona se o jogo je1 estiver sendo produzido antes do filme. Contudo, he1 excee7f5es, no entanto o jogo se torna curto, limitando-se ao enredo do filme e ne3o uma extense3o do enredo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here