A definição do preço de venda de um produto é fator determinante para o sucesso da empresa em um mercado competitivo. Porém, este é um assunto que causa muitas dúvidas aos empresários, principalmente os de primeira viagem. E, ao contrário do que muitos empreendedores em início de carreira pensam, a formação do preço de venda de um produto não é algo que pode ser criado de qualquer maneira, sem uma lógica a ser seguida.

Por isso, hoje vamos falar um pouco sobre como definir o preço de venda dos produtos de uma empresa, considerando seus objetivos, dicas importantes a serem seguidas, problemas que podem ocorrer e também exemplos de formação de preço. Mas primeiro, vamos à definição de preço de venda:

O Sebrae define, em seu site, o preço de venda da seguinte maneira:

“Preço de venda é o valor que deverá cobrir o custo direto da mercadoria, produto ou serviço, as despesas variáveis (como impostos e comissões), as despesas fixas proporcionais (como aluguel, água, luz, telefone, salários e pró-labore), além de permitir a obtenção de um lucro líquido adequado”.

Desta forma, existem situações em que as decisões sobre os preços dos produtos tem importância fundamental na competição do mercado. São elas:

– Quando a empresa estabelece o preço pela primeira vez;
– Quando as circunstâncias levam a empresa a considerar as possibilidades de alterar os preços;
– Quando a concorrência inicia alteração de preços;
– Quando a empresa produz itens com demandas e/ou custos inter-relacionados.

Objetivos da fixação do preço de venda

Você saberia elencar os principais objetivos da fixação do preço de venda? Veja abaixo quais são:

– Penetração no mercado: a empresa estabelece o preço com o intuito de conseguir grande participação no mercado.
– Selecionar o mercado: a empresa estabelece o preço visando atingir segmentos específicos de mercado.
– Pronta recuperação de caixa: geralmente empresas em dificuldades financeiras estabelecem um preço que permite o rápido retorno de caixa.
– Promover linha de produtos: neste caso, o preço é usado com o intuito de promover a venda de todos os produtos da linha.
– Maximizar o lucro: o preço é estabelecido tendo em vista a maximização do retorno para a empresa.
– Eliminar a concorrência: o preço estabelecido tem o propósito da eliminação da concorrência, havendo, em alguns casos, o uso ou prática dodumping (exportação por preço inferior ao vigente no mercado interno para conquistar mercados ou dar vazão a excesso de oferta; ou venda por preço abaixo do custo para afastar concorrentes).

Como formar o preço de venda?

Além do aspecto financeiro, a definição do preço de venda deve levar em conta o aspecto mercadológico. O preço deverá estar próximo do praticado pelos concorrentes diretos da mesma categoria de produto e de qualidade. Também devem ser considerados o nível de conhecimento de marca, o tempo de mercado, o volume de vendas já conquistado e a agressividade da concorrência.

Se o preço praticado pelo mercado for menor que o encontrado a partir dos custos internos da empresa, o empresário deverá refazer os cálculos financeiros para avaliar a viabilidade de seu negócio.

Alguns fabricantes estabelecem o preço que a distribuidora deverá praticar junto aos seus clientes, provavelmente indústria ou comércio varejista. Outros apenas oferecem um valor de referência, deixando para a distribuidora a decisão pelo valor de preço que será praticado. Portanto, isto depende da negociação entre fabricantes e distribuidores.

Dicas para a formação do preço de venda

– Ao definir o preço de venda, devem ser levadas em conta as particularidades do segmento de atuação;
– É preciso ter um bom planejamento, com metas claras de lucratividade e dimensionamento de capacidade de vendas;
– Não vale a pena entrar no jogo dos concorrentes predatórios, que não conseguem se diferenciar e derrubam os preços. É melhor investir em diferenciais;
– Os estoques podem ser minimizados aumentando a linha de produtos;
– O giro deve ser maximizado. Deve ser dada preferência aos itens que complementem a atual linha trabalhada, aumentando assim as vendas e o giro dos produtos;
– Vale investir em comunicação. Os clientes devem ser informados sobre os novos itens vendidos, que devem ser expostos de forma mais atraente, facilitando a aceitação dos consumidores.
– A linha de produtos deve ser mantida. A interrupção resulta em perda de credibilidade junto aos consumidores;
– A falta de produtos tem de ser evitada. Se necessário, eles devem ser substituídos por similares.

Exemplo de formação do preço de venda

Abaixo segue um modelo simples de formação do preço de venda, com valores fictícios que o auxiliarão na visualização de tudo o que foi dito até aqui. Observe:

– Custo Direto Variável = R$ 20,00;
– Despesas Variáveis = 7%;
– Despesas Fixas = 30%;
– Lucro Líquido = 8%;
– Preço de Venda = R$ 20,00 / (100% – 7% – 30% – 8%) = R$ 20,00 / 55% = R$ 36,36.

Demonstrativo do resultado:

– Preço de Venda = R$ 36,36 (100%);
– Custo Direto Variável = R$ 20,00 (55%);
– Despesas Variáveis = R$ 2,54 (7%);
– Despesas Fixas = R$ 10,91 (30%);
= Lucro Líquido = R$ 2,91 (8%).

Problemas decorrentes da má formação do preço de venda

Estabelecer preços de venda competitivos é uma tarefa que exige do empresário o conhecimento dos componentes que dão origem ao preço de venda. Como visto acima, a definição da estrutura de custos é parcela importante neste processo, uma vez que possibilitará ao administrador saber quanto lucrou.

Porém, muitas empresas não apuram seus custos e despesas de maneira precisa, e os preços de venda são obtidos empiricamente. Essa prática mascara os custos e o lucro da empresa, acarretando diversos problemas, tais como:

– Preço de venda abaixo do real, o que diminui os lucros da empresa.
– Preço de venda acima do real, o que dificulta as vendas.
– Fabricação de produtos que dão pouco lucro em detrimento de outros mais rentáveis, ocasionando má alocação dos recursos.
– Esforço de venda não orientado para produtos mais lucrativos.
– Dificuldades para identificar e fixar ações para redução de custos e despesas, o que poderá levar a empresa a operar com custos e despesas mais altas do que deveria.

Como conseqüência de um ou mais desses problemas, a empresa terá lucro e rentabilidade menores, o que representa uma ameaça ao seu crescimento e até à sua própria estabilidade econômico-financeira. O empresário deve ter sempre em mente que, numa economia de mercado, quem define o preço de venda é o mercado.

Este post é uma compilação de informações oferecidas pelo Sebrae.

6 COMENTÁRIOS

  1. muito bom os comentários. gostei muito e foi bastante significativo e tirou bastante dúvidas que eu tinha. espero acessar novamente e ser correspondido.

  2. Gostaria de saber como ghegar neste valores em porcetagem das variaveis e fixa e lucro liquido em porcetangem
    Custo Direto Variável = R$ 20,00;
    – Despesas Variáveis = 7%;
    – Despesas Fixas = 30%;
    – Lucro Líquido = 8%;
    – Preço de Venda = R$ 20,00 / (100% – 7% – 30%

  3. Eu gostaria de tirar uma duvida. Esta fórmula é muito eficaz até o momento em que a porcetagem das minhas despesas seja 90% por exemplo, o resultado dará negativo. Como resolver isso?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here