Home Recursos Humanos

Multinacionais deixam seus funcionários trabalharem em casa e produtividade aumenta

0

72 Flares 72 Flares ×

Na IBM, existem várias formas diferentes de trabalhar e duas delas chamam atenção: o home-office e o trabalho parcial em casa. A primeira modalidade, na qual já estão inseridos 600 funcionários, vem crescendo bastante, nas palavras da gerente de clima organizacional e diversidade da IBM Brasil, Fabiana Galetol. É uma tendência que nasceu no exterior, sendo que, nos Estados Unidos, é “muito comum”. O mote do regime é o acréscimo na produtividade dos funcionários e, conseqüentemente, na lucratividade das empresas.

Desde 2005, a Ticket também aposta no home-office. “Implantamos o regime entre os vendedores, porque acreditávamos que eles deveriam estar mais perto dos clientes. Era uma necessidade para que a empresa se tornasse mais competitiva. Mas eles não conseguiam, por conta do tempo que perdiam no deslocamento até a empresa. Além disso, a Ticket precisava reduzir custos operacionais e otimizar processos”, explica o superintendente regional de vendas Eduardo Távora.

Motivação
“A surpresa foi que, de lá para cá, aumentamos nosso volume de vendas em 40%. E não foi um simples aumento, pois as vendas fechadas tinham mais qualidade, isto é, eram mais construtivas. E mais: antes, tínhamos a meta de uma visita a clientes por dia, por vendedor. No final das contas, conseguimos fazer 240 visitas a mais do que o estabelecido pela meta anualmente”, comemora. “A conclusão é que os funcionários ficaram mais motivados e proativos”.

Para ele, a motivação tem causa. Se trabalhando na empresa e perdendo um tempo desnecessário no trânsito uma mãe não tinha nem como levar os filhos à escola, hoje, trabalhando em casa, ela garante um convívio familiar mais harmônico e pode interferir da maneira ideal na educação dos filhos. Mais tranqüila e feliz, essa funcionária produzirá mais.

“Alguns funcionários que sempre quiseram emagrecer dizem que agora estão conseguindo fazer academia e se sentem mais satisfeitos. Isso é essencial para nós”, acrescenta.

Prós e contras
Na avaliação de Fabiana, o funcionário ganha qualidade de vida e a empresa, produção. Ela explica: “Quem trabalha em casa se dispersa menos, produz mais, tem mais tempo para cuidar de si, e sem estresse, porque não pega trânsito. Para a empresa, ainda há uma redução de custo”, diz.

A gerente de negócios da Ticket, Alessandra Pessoa Soares, que, por sinal, trabalha sob esse regime, concorda: “Hoje me sinto mais concentrada, focada. E tenho mais liberdade também. Consigo almoçar com a família, fazer ginástica e tenho mais tempo para sair com os amigos”. Ela ainda revela que o aumento da produtividade é o ponto alto do home-office. “Estou rendendo muito mais. É incontestável”.

O único ponto fraco, na opinião do superintendente da Ticket, é a falta do convívio com os amigos e colegas. Fato que, no início, causou medo entre os colaboradores convidados a trabalhar em casa. A saída encontrada pela multinacional foi instituir um “novo ritual de relacionamento”, com reuniões mensais e mantendo avaliações de resultados e os esperados ‘happy hours’.

Como funciona
No caso da IBM, a empresa reembolsa banda larga, material de escritório, mesa, cadeira apropriada, telefone e computador. Além disso, paga normalmente transporte e almoço. Já no trabalho parcial, o colaborador faz um acordo com o gerente e pede para trabalhar alguns dias da semana em casa, mantendo, assim, a mesa dele na empresa.

Esse tipo de trabalho, porém, é implementado com base na confiança e é importante que o colaborador fique o tempo inteiro conectado. “Cerca de 70% das funções que temos na IBM são elegíveis ao home-office, no entanto apenas funcionários com no mínimo seis meses de casa podem entrar para o regime, até porque consideramos importante eles se familiarizarem com a empresa e seu código de ética”, explica a gerente da IBM.

Na Ticket, os funcionários que trabalham em casa ganham notebook, com todos os softwares e sistemas utilizados pela organização instalados, telefone, Internet com segurança, fax, cadeira, enfim, tudo que existe em um escritório comum. Além disso, o suporte técnico está sempre alerta para qualquer emergência.

Dicas
No treinamento da Ticket, até mesmo os familiares dos colaboradores participam. Eles são conscientizados da necessidade de não interromper o parente que está trabalhando em casa. A disciplina é essencial para profissionais que trabalham em casa.

As dicas de Alessandra são começar o expediente sempre no mesmo horário, de preferência à mesma hora em que começava a trabalhar na empresa, não ter televisão por perto e manter duas linhas de telefone: uma para casa e outra para o trabalho.

FONTE: Administradores.com.br