Nota: Entrevista Sérgio Dal Sasso e José Augusto Minarelli para o portal da FEA-USP – Faculdade de Economia e Administração. Jornalista Responsável: Elea Cassettari

Com a crescente competitividade profissional, os quesitos que impulsionam uma pessoa a ser bem-sucedida vão muito além da formação acadêmica e cultural. Uma das ferramentas com cada vez mais importância para determinar novas oportunidades de carreira é a rede de contatos ou networking.

Sérgio Dal Sasso, formado em Administração pela FEA-USP, hoje educador profissional, afirma que a partir da década de 90, o mercado passou a exigir mais produção em menos tempo, o que pede uma maior e melhor integração entre os profissionais. Por causa disso, um bom relacionamento interpessoal se tornou essencial para o desenvolvimento de qualquer carreira.

Para ele, o networking começa desde antes da faculdade, quando uma boa rede é medida pela quantidade de contatos que alguém possui. Com o passar dos anos, o fator quantidade muda para qualidade. “O objetivo final é ter a maior quantidade possível de contatos com qualidade”, afirma Dal Sasso.

A importância do networking vai além, como lembra José Augusto Minarelli, orientador profissional, que ressalta que hoje isso é um dos fatores de empregabilidade. “A partir de sua rede, você recebe novas informações, fica sabendo sobre eventos, compra e vende serviços, recebe e dá indicações”, explica.

Segundo Minarelli, mais essencial que expandir sempre uma rede de contatos é sua manutenção feita em momentos posteriores ao primeiro encontro com o profissional. Para isso, deve-se mostrar ao contato que ele é valorizado, pois “a valorização da fonte faz com que ela se sinta bem para aconselhar, indicar e informar”. Além disso, ele frisa que o fato de que todos os contatos são muito importantes, independentemente do nível sócio-econômico e profissional de cada um.

Há quem considere o networking uma prática exploratória usada por pessoas interesseiras. Tanto Dal Sasso quanto Minarelli, porém, ressaltam que a rede é uma troca de conhecimentos e favores entre indivíduos: as duas pessoas se beneficiam na relação e costumam ter um real interesse uma pela outra. “A grande vantagem do networking é que você dá e recebe ajuda gratuitamente”, diz Minarelli, enquanto que Dal Sasso lembra que “estar sozinho é ter mais riscos”.

Uma das dicas que os dois profissionais deram para expandir a rede profissional é identificar onde estão as pessoas certas e participar desse meio, tanto pessoal quanto virtualmente. Para um primeiro contato, Minarelli aconselha fazer uma abordagem “simples, educada e direta”, além de apresentar um cartão de visitas com nome, profissão, telefone e e-mail para a pessoa ter acesso ao profissional.

A Internet contribui hoje para trazer mais possibilidades de contatos, como lembra Dal Sasso. “É preciso ser participativo em fóruns de discussão e puxar as pessoas interessantes para perto de você. Só assim é possível construir um diferencial competitivo para oportunidades futuras de carreira”, explica.

Outro ponto essencial para expandir uma rede de contatos é o profissional variar o grupo de pessoas com quem convive e buscar se apresentar a desconhecidos. Caso contrário, como afirma Minarelli, as pessoas tendem sempre a permanecer junto aos mesmos contatos. “É importante sempre conhecer pessoas novas. Quem conhece mais gente tem mais possibilidades”, afirma.

FONTE: www.sergiodalsasso.com.br

4 COMENTÁRIOS

  1. […] traduzido como uma “rede de trabalho” ou “rede de contatos”. Através do Networking, é possível manter em contato diversas pessoas e organizações que, através da confiança e de […]

  2. Não acredito que seja exatamente como você comentou acima. Mas creio que existam alguns casos em que o único meio que o profissional (limitado) vê de manter boas relações é “puxando o saco” de pessoas importantes. Lamentável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here