O que aprender com a evolução dos aplicativos de celular

Hoje já estamos bem acostumados com os aplicativos e eles fazem parte da nossa rotina diária. Almoçamos, jantamos, trabalhamos e muitos de nós quase vivem através deles. Mas, a evolução dos aplicativos começou através da noção de algumas pessoas de que os recentes hábitos humanos trouxeram com eles novas necessidades.

Essa visão serve para tudo, por exemplo, aplicativos como Betway apostas ao vivo entendem a necessidade das pessoas em se divertir, mesmo que por conveniência ou outras razões, não saiam de casa.

Aplicativos como o Rappi surgiram do entendimento de que o delivery não deveria servir apenas para comidas. O olhar mais além fez com que uma startup crescesse exponencialmente em tempos de dificuldades gerais.

Enquanto muitos seguiram com a aposta de aplicativos de comida, o Rappi se desenvolveu e tentou adicionar quase todos os setores dentro da aplicação. Papelaria, decoração e até venda de viagens, tudo se tornou possível dentro de só um aplicativo, com regras únicas para todos os tipos de compras.

O mesmo acontece com aplicativos de jogos, que antes se limitavam a jogos sem maiores interações mas, a compreensão de que as pessoas querem se tornar parte de algo, fez com que eles abrissem os jogos para que fossem jogados em grupos, e agora, com câmera e áudio disponível dentro dos jogos para maior interação dos usuários

Esse é o tipo de mudança que realmente afetará a humanidade para sempre, inclusive em nossa evolução, mas, o que aprender com esse caminho percorrido pelos criadores de aplicativos?

Uma boa forma de começar é entender a base da criação. Diferente das idéias de marketing do passado, a visão muitas vezes não é causar desejo, é suprir a real necessidade. O marketing dos aplicativos é o marketing básico de que as pessoas precisam daquilo para facilitar a forma de que elas já vivem. Ou seja, faça o mesmo, mas com mais eficiência e de maneira mais rápida, principalmente. Ou melhor, não faça, nós fazemos por você.

Com esse tipo de estratégia, se criou um conforto inclusive para pessoas que muitas vezes são esquecidas pela sociedade, como os catadores de lixo. No Brasil existe um aplicativo voltado para eles, que indica as casas nas quais os donos alertaram para lixos reciclados, assim, os catadores não precisam perambular para recolher os reciclados. Eles já sabem onde estão e vão diretamente nessas residências e empresas fazer a coleta.

Viver o dia-a-dia inspira esses criadores e por isso é importante estar atento às modificações que acontecem junto com a evolução, tanto humana quanto dos aparelhos e estilo de vida que temos. Outro bom exemplo a ser estudado são os aplicativos de meditação, que utilizam o celular como uma necessidade para aqueles que já passam um dia inteiro com ele.

O mais racional seria que as pessoas desligassem seus celulares no momento de meditar mas, os inventores dessas aplicações viram a dificuldade que muitos tinham em seguir um estilo de vida mais calmo e realmente apagar. Por isso, o grande sucesso da meditação guiada, ou dos aplicativos com sons falsos de chuva para relaxar.

Ou seja, as pessoas continuam usando um aparelho extremamente estimulante para criar um cenário de introspecção e tudo isso, porque os inventores descobriram uma necessidade não explorada no seu máximo.

Muitos outros aplicativos seguem essa mesma linha de geração de leads. Algo um pouco mais orgânico pois vem de uma necessidade real ou não, entendida ou não pelo usuário.