4

Brasília – Os cursos de administração, pedagogia, direito e engenharia concentram quase metade das matrículas do ensino superior do país, mostram os dados do Censo da Educação Superior de 2009, divulgado hoje (13) pelo Ministério da Educação (MEC). Enfermagem, ciências contábeis, comunicação social, letras, educação física e ciências biológicas completam a lista dos dez cursos mais populares no Brasil.

Os números mostram que houve um crescimento de 13% na oferta de cursos, que em 2009 somavam 28.966. Esse aumento foi de 30% na educação a distância (EAD) e de 12,5% na presencial. As preferências dos alunos de graduações a distância são diferentes: pedagogia e administração concentram mais da metade das matrículas dessa modalidade: 34,2% e 27,3%, respectivamente.

Outra diferença entre as duas modalidades é a predominância do tipo de graduação oferecida. Enquanto 71% dos cursos presenciais são de bacharelado, no ensino a distância as licenciaturas são metade da oferta. O censo confirma o crescimento da EAD, que já responde por 14%¨das matrículas do ensino superior.

Veja a lista dos cursos com maior número de alunos matriculados em 2009:

1. Administração – 1,1 milhão de matrículas
2. Direito – 651 mil matrículas
3. Pedagogia – 573 mil matrículas
4. Engenharia – 420 mil matrículas
5. Enfermagem – 235,8 mil matrículas
6. Ciências contábeis – 235,2 mil matrículas
7. Comunicação social – 221 mil matrículas
8. Letras – 194 mil matrículas
9. Educação Física – 165 mil
10. Ciências Biológicas – 152 mil

*os números incluem graduação presencial e a distância

Edição: Juliana Andrade

FONTE: Agência Brasil, por Amanda Cieglinski.

16

Descaracterização da profissão de Administrador, é dessa forma que podemos entender e resumir o Projeto de Lei 7280/10, de autoria do Deputado Federal Átila Lira (PSB-PI). Atualmente, para se desempenhar a função de Administrador é necessário ter diploma de Bacharel em Administração. Caso o referido Projeto seja aprovado, o direito ao exercício da profissão de Administrador será estendido aos diplomados em cursos superiores de Tecnologia, Mestrado ou Doutorado em Administração.

Muitos são os argumentos utilizados por Átila Lira para defender o seu projeto, no entanto nenhum deles é concebível. “Ampliar o mercado para profissionais que estão sendo qualificados em cursos que não existiam à época da entrada em vigor da legislação regulamentadora do exercício da profissão de Administrador” é um de seus inaceitáveis argumentos.

Mestrado e Doutorado são uma forma de complementar o conhecimento adquirido durante a graduação e só se pode complementar aquilo que já se tem. De nada adianta fazer um curso de Mestrado em Administração sem antes ter aprendido todos os princípios da profissão, que são ensinados durante a graduação.

Simplificando, basta apenas seguir a lógica: se eu quero ser médico, devo cursar Medicina; se eu quero ser advogado, vou cursar Direito; logo, se eu quero ser Administrador, tenho que fazer o curso de graduação em Administração.

O Deputado encerra sua proposição dizendo: “Assim sendo, por acreditarmos que a nossa proposição fará justiça aos profissionais que, embora capacitados profissionalmente, não podem hoje exercer a profissão, pedimos o apoio dos nobres Colegas para a aprovação da matéria.” Mas isso é justo com todos aqueles já formados em Administração? E com os milhares de estudantes que já estão se dedicando ao curso e em breve serão bacharéis em Administração?

Por entender que tal Projeto é uma afronta à Administração é que o SINAERJ o rejeita veementemente e está fazendo uma grande campanha contra esta nefasta proposição. Esta é uma questão que afetará a todos nós, Administradores, portanto participe registrando a sua indignação enviando um e-mail de repúdio para: dep.atilalira@camara.gov.br (Deputado Átila Lira, autor do Projeto de Lei 7280/10) e sinaerj@administradores.org.br (Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro).

FONTE: Blog da SINAERJ

3

O ano de 2010 foi uma escola para mim, aprendi muitas lições e, pela primeira vez, estive inteirado de todas as funções estratégicas das minhas empresas e isto me ensinou muito. Assim, para começar bem o ano de 2011, vou compartilhar com vocês algumas coisas que aprendi este ano. Espero que elas o ajudem a aprender um pouco mais para ter muito sucesso neste novo ano, confira:

Empreender não é nada fácil: Ter a responsabilidade de toda empresa na suas costas, dos pagamentos, dos controles e tudo que envolve a gestão de um negócio não é fácil. Isto é um dos motivos que fazem com que as pessoas prefiram o caminho mais estável de serem colaboradores, ao invés de se arriscarem como empresários, muitas vezes este risco costuma parecer alto demais.

Os planejamentos sempre precisam ser revisados: Não importa o cuidado que você teve ao montar um planejamento, algo nele vai dar errado. São muitas variáveis a se considerar e se você tiver miopia para isto, pode acabar perdendo tudo que lutou para conseguir. Revise, revise e revise.

Ao começar uma empresa, tudo vai custar mais do que esperava: Minha empresa está gastando mais do que eu planejei em meu plano de negócios, precisei estar bem preparado para isso. Acredito que você vá gastar até 3 vezes mais do que tem planejado, então espere ter alguma reserva para isto, se planeje para não ser pego de surpresa.

Lições que aprendi sendo um empreendedor em 2010

Não existe fórmula de bolo dentro da administração: Cada empresa é uma empresa, cada mercado é um mercado, cada cidade é uma cidade, tudo é diferente e confuso se você for tentar copiar algo de uma empresa e implantar exatamente igual em outra. Por isso, tome cuidado com alguns serviços que são oferecidos à sua empresa, procure saber se existirá um estudo prévio antes de implantar alguma ferramenta de gestão em sua empresa.

Postergar na gestão de uma empresa é igual a estresse e prejuízo: Se algo pode ser feito agora, faça, se você não pode fazer delegue para alguém fazer, não deixe nada para depois. A chance disto virar uma bola de neve é absurda, e ai você vai sofrer com o estresse e a amolação.

Procure sucessos pequenos ao invés de procurar eternamente um grande sucesso: Você pode conseguir lançar um produto que mude o mercado, mais isto é muito difícil de acontecer nos dias de hoje. Porém, você pode fazer o que todo mundo faz de uma forma melhor e mais bem desenvolvida, e de pouco em pouco chegar no mesmo nível de sucesso que esperava com um tiro no escuro.

Bom, estas foram algumas lições que aprendi empreendendo em 2010 que gostaria de compartilhar com vocês. Mas agora quero ouvir o que têm a dizer, quais foram os ensinamentos que tiveram no ano que passou? Compartilhe-os com a gente, comente!

6

Fonte:Empregos.com.br

Todos os anos, muitos trabalhadores são efetivados por destacarem-se em suas atividades. Para o consultor Scher Soares*, diretor do Grupo Triunfo: “O fato de ser contratado para uma vaga de emprego temporário exige do trabalhador certo nível de preparo. Mesmo tratando-se de uma situação para um curto prazo, existem sim chances de efetivação. Para isso é importante que o colaborador dê seu máximo nesta nova etapa profissional”.

Para que a efetivação seja realizada é preciso que duas coisas aconteçam:

1. A empresa tem que sentir necessidade de absorver para seu quadro uma maior quantidade de pessoas;

2. O trabalhador deve destacar-se em meio aos demais, pois a chances de que todos os temporários tornem-se efetivos é muito pequena.

Como, por parte do trabalhador, só e possível controlar sua performance, a Triunfo Consultoria e Treinamento dá algumas dicas para aumentar as chances de você ser o escolhido:

Saiba como ser efetivado no seu emprego temporárioInvista em você: é muito importante que a empresa perceba que você está investindo em você, com o objetivo de capacitar-se para o mercado de trabalho. Busque cursos na internet, leia livros importantes na sua área, converse com pessoas interessantes e, principalmente, coloque em prática seu conteúdo.

Mantenha-se atento e interessado: funcionário que mal chega no novo emprego e já vai questionando sobre seus “direitos” quase sempre não é bem visto. Mostre trabalho, entenda os processos, maximize seu nível de contribuição. Esteja atento aos detalhes e demonstre interesse pela empresa (e pelos seus resultados).

Saiba trabalhar em equipe: um dos aspectos do trabalhador, muito valorizado atualmente nas organizações, é saber trabalhar em equipe. As empresas têm buscado colaboradores que pensem no grupo e que saibam se relacionar com os colegas. Assim, desenvolver a capacidade de adaptação e flexibilidade é fundamental. Em empresas de menor porte isso se torna ainda mais explícito, pois os funcionários devem estar preparados para exercer mais que uma função ao mesmo tempo e mudar de responsabilidades, dependendo das necessidades do negócio. Evite viver centrado apenas nos seus afazeres. É importante lembrar que bom desempenho de uma empresa depende do trabalho executado pela sua equipe.

Saiba ouvir: respeitar a opinião dos seus colegas de trabalho é uma tarefa que possibilita reconhecimento, confiança e valorização, permitindo estabelecer uma relação de respeito profissional. Idéias sensacionais podem surgir quando se permite ouvir novas idéias e conseqüentemente perceber que estas contribuições, podem melhorar e aperfeiçoar a idéia inicial. Um gestor benevolente sabe ouvir cada contribuição da equipe, sem superestimar o potencial intelectual humano.

Seja positivo: se você for todo dia para o trabalho com vibrações positivas, as pessoas vão considerá-lo aquele tipo de pessoa que sabe lidar com a tensão, as incertezas e os problemas. Ou seja, alguém que não faz tempestades em copo d´agua, que se mantém calmo, sereno, confiante e controlado. Mostre-se otimista o tempo todo. Assim que os outros começarem a encará-lo como uma pessoa de temperamento alegre e positivo, vão ter vontade de ficar, cada vez mais, a seu lado e com isso a possibilidade de quererem você por mais tempo na empresa só aumenta.

*Scher Soares é empresário, palestrante e consultor de empresas especializado em
vendas e varejo.

3

A rede social Facebook poderia abrir suas ações para cotação em bolsa de valores em abril de 2012, conforme um memorando que a empresa enviou a seus potenciais investidores, tal como revela nesta quinta-feira “The Wall Street Journal” em seu site.

A empresa, que está reunindo fundos para aumentar sua capacidade financeira, aponta nesse documento de 100 páginas que 2012 seria o ano escolhido para se transformar em uma companhia de capital aberto por meio da Comissão do Bolsa de Valores dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês).

O diário nova-iorquino detalha que a rede social prevê superar em 2012 o número de 500 acionistas, um limite que, se superado, obriga as companhias a informar sobre sua situação econômica à SEC, ainda que não cotem na bolsa.

No início desta semana, Goldman Sachs e Facebook surpreenderam os investidores de Wall Street ao se saber que tinham chegado a um acordo pelo qual a entidade financeira investiria US$ 500 milhões na rede social, junto ao grupo russo Sky Technologies, e administraria a entrada de outros investidores até arrecadar uma injeção de capital de US$ 1,5 bilhão.

Essa operação, que avaliava o Facebook em US$ 50 bilhões, fez soar os alarmes entre reguladores e analistas, que veem como as empresas especializadas em redes sociais estão entrando em uma possível bolha especulativa que escapa do escrutínio público, já que em sua maioria não têm capital aberto e nem obrigação de tornar públicas suas contas porque não têm mais de 500 acionistas.

Desse temor vem a importância do memorando, no qual, segundo “The Wall Street Journal”, fica claro que o objetivo do acordo entre Goldman Sachs e Facebook não era evitar prestar contas à SEC.

FONTE: EFE – Agência EFE e Terra.