Para quando sair da faculdade!!

Ao terminar a faculdade, chega o momento de iniciar a vida profissional e planejar para que seja contínua e com empregabilidade. É necessário estar atento para que a carreira seja sempre evolutiva, se houver algum hiato é porque você relaxou em alguma área de seu desenvolvimento. Sendo assim, identificando o problema, é preciso definir ações para criar novas oportunidades, mas isso deve ser feito desde o início de sua carreira.

Nunca pare de estudar: seu conhecimento pode rapidamente tornar-se obsoleto ou insuficiente para ser relevante para as empresas. Uma nova formação acadêmica, um curso de pós-graduação ou uma língua estrangeira podem ser o diferencial relevante para uma colocação.

Agora que você terminou a faculdade é o momento ideal para vencer sua timidez. Por mais competente que seja, se não souber expressar-se nos momento decisivos, como numa entrevista para emprego, sua competência ficará oculta. Faça tantos cursos de expressão verbal ou oratória quanto puder. Se não tiver condições de investir em um, adquira ou empreste um gravador e grave-se falando. Procure ver se você concatena bem as idéias, se sua dicção é boa e se você não fala muito rápido ou muito devagar. Se ainda assim sua timidez persistir, considere como possibilidade consultar um psicólogo para que possa ajudá-lo a ultrapassar esta barreira. Ou, nos casos mais leves, quem sabe você não se desinibe em uma aula de teatro ou mesmo dança de salão? Encontre uma forma de vencer a timidez, ela é responsável por boa parte das carreiras que avançaram muito lentamente ou se estagnaram.

É provável que falte a você maturidade. Procure se expor a mais experiências de vida. Arrisque-se mais. Se possível faça uma viagem sozinho para o exterior, preferencialmente a um país que não fale uma língua que conheça. Aprenda a se virar. Faça um trabalho voluntário e entre em contato com pessoas que vivem dificuldades, mas as vivem com destemor – ajude-as.

Outros elementos fundamentais para sua carreira iniciar e avançar são: a sua imagem, fala e postura. Lembre-se que o profissional vende a todo instante a sua credibilidade. Sendo assim, tenha uma imagem que transmita isto: procure se vestir com a sobriedade, elegância e estilo de um locutor de telejornal sempre que estiver à procura de um emprego. Evidentemente faça os ajustes necessários à sua idade, cargo pretendido e empresa onde está buscando a recolocação – não apareça de terno e gravata em uma empresa que vende materiais para esportes radicais, nem deixe sua nova tatuagem à mostra ao procurar emprego em um hotel tradicional. Pense!

Você também pode estar procurando no lugar errado o início de sua carreira. A maioria dos empregos não está nas grandes empresas, mas nas empresas menores. Ao contrário do que imagina, muitas empresas de pequeno porte possuem grandes clientes e lucratividade que as permitem pagar salários elevados. Além disso, há a vantagem de se poder desenvolver e utilizar muitas habilidades em um mesmo lugar, o que é muito bom para você que está começando. Afinal as empresas menores não possuem tanta estrutura quanto as maiores, o que não significa que não tenham atrativos: dinamismo, desafios, crescimento e em muitos casos, ousadia.

Em cada uma destas ações que possam mover seu desenvolvimento rumo a um emprego, lembre-se de conversar muito com as pessoas que estão ao seu lado. Procure por aquelas que indicam você para uma nova colocação, ou influenciam alguém que possa contratar você. Não tenha ilusões, estima-se que de 60 a 80% das vagas nas empresas são preenchidas por indicação. Sendo assim, tenha interesse em conhecer pessoas e conquistá-las com uma conversa marcante, relevante e inspiradora.

No mundo corporativo, saber iniciar um diálogo com alguém extremamente importante para sua carreira de forma curta e curiosa é o que se chama de “Conversa de Elevador”. Isto é, você entrou no elevador com a pessoa que pode contratá-lo ou influenciar quem o contrate e tem somente até o andar de destino dela para falar sobre quem você é e o que deseja para sua carreira. Não seja óbvio neste momento, saiba criar a curiosidade. Por exemplo, vamos supor que você deseja ser alguém que trabalhe em um banco. Então diga: “pretendo vender dinheiro”. De fato, no banco as pessoas vendem dinheiro, se você quiser “comprar” R$ 1.000,00 o banco te vende por R$ 1.100,00 (os R$ 100,00 a mais é o que chamamos de juros). Entretanto, não pense que basta você “jogar” uma conversa mole para cima de alguém que vai ser suficiente para que consiga sua colocação. Tenha interesse genuíno por resolver problemas, aprimorar processos, produzir produtos de alta qualidade, atender com extrema atenção e cuidado todos os clientes externos e internos da empresa. Em outras palavras, não basta que você queira trabalhar em uma empresa, é preciso que você queira que a empresa ganhe. Assim, descubra quando a empresa que você procura faz um gol e veja se isto tem a ver com você. Se não tiver, procure por outra. O mundo está cansado de ser atendido por pessoas que não gostam da empresa em que trabalham. Acima de tudo, para você que está começando: seja treinável. Isto é, saiba ouvir orientações e aplicá-las rapidamente na sua rotina de trabalho.

Por último se você já descobriu quais áreas de sua vida podem parar e o que deve fazer para aprimorá-las, saiba fazer o seguinte: imagine o mundo daqui a 3 , 5 e 10 anos.

Neste mundo do futuro imagine como estará o mercado e as empresas em que pretende atuar. Qual será o seu papel nestas empresas? Neste papel do futuro, quais competências você precisará ter? Compare com aquelas que possui hoje e comece a desenvolver desde já aquelas que ainda não tem. Assim você corre menor risco de se tornar obsoleto ou de achar-se surpreendido por uma demissão. São muitas as ações que você pode fazer para desenvolver em direção ao sucesso de sua carreira.

É no futuro que você irá viver sua carreira, portanto tenha um profundo interesse por ele. Vamos em frente!

* Sílvio Celestino é Vice-presidente do chapter São Paulo da Federação Internacional de Coaches, Diretor da Enlevo Coach de Executivos e autor do Livro “Conversa de Elevador – Uma fórmula de sucesso para sua carreira”.