Hoje (9) a profissão de Administrador completa 45 anos de regulamentação no Brasil. De lá para cá, multiplicaram-se os cursos de graduação e o número de profissionais não para de crescer. Mas, quem são esses profissionais, que idade têm, onde estudaram, o que fazem?

Números levantados pelo Conselho Federal de Administração – CFA, apontam que os homens são maioria entre os administradores. Segundo o estudo “Perfil, formação, atuação e oportunidades de trabalho do Administrador”, realizado pelo CFA em 2006, apenas 33% dos profissionais da área são mulheres.

A diferença de gênero, entretanto, tem encurtado desde o primeiro levantamento, realizado em 1994. Naquele ano, 79% dos administradores eram homens, porcentagem que caiu para 75% em 1998, 70% em 2003 e 67% em 2006. Assim, em 12 anos, o número de administradoras cresceu 57%.

Administradores jovens

Se você pensa que Administração é coisa para senhores, está enganado. Segundo a pesquisa de 2006, a maioria dos administradores brasileiros está na faixa etária de até 30 anos e é composta por recém-formados, grupo este que deve crescer ainda mais, devido ao grande número de cursos existentes atualmente, majoritariamente oferecidos por instituições particulares.

Onde trabalham?

Cerca de 68% dos administradores ouvidos disseram trabalhar com carteira assinada. Entre os 32% restantes, 9% são empresários, 8% exercem função pública, 5% são autônomos, 2% trabalham informalmente, 2% estão aposentados e os desempregados são 6%.

Quanto à área de atuação, a de Administração Geral é onde está a maior parte dos administradores que atuam no mercado. Apesar de algumas variações entre 1994 e 2006, o setor registrou alta ao longo da série de estudos, passando de 34% no primeiro levantamento para 35,28% no último.

O cargo mais ocupado, segundo os dados do CFA, é o de Gerência (21,37%), seguido pelo de Analista (12,75%) e o de Proprietário (9,68%).

Maioria fala um segundo idioma

A pesquisa revela também que 58,31% dos respondentes dominam um segundo idioma, sendo que 77,82% citaram o inglês e 35,39%, o espanhol.

Renda

Em 2006, 27,23% dos respondentes disseram receber até 5 salários mínimos, porcentagem quase idêntica à dos que disseram receber entre 5 e 10 (27,57%). Entre 10 e 15 salários, estão quase 16% dos profissionais. Outros pouco mais de 9% afirmaram receber entre 15 e 20, 6% responderam que recebiam entre 20 e 25 e, por fim, 13% disseram receber mais que 25 salários mínimos.

FONTE: Administradores.com.br, por Simão Mairins

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here