por Gabriel Galvão

Hoje vi uma notícia triste na TV: numa escola pública, localizada na minha cidade natal (Paulista, em PE), várias crianças passaram mal após terem comido a merenda do dia. A vigilância sanitária bateu lá e constatou que a cozinha e a despensa da escola estavam em péssimo estado de higiene e limpeza. Lógico, a culpada foi a diretora da escola, que demonstrou que não dava a mínima para a saúde dos alunos que ali se alimentavam, sendo muitas vezes a única refeição do dia para eles.

A partir dessa situação, lembrei de outras que também retratavam descaso nos atos de gestão por parte das pessoas responsáveis por entidades públicas ou privadas. Pessoas essas que não tinham qualificação nem aptidão para gerir qualquer estabelecimento, independente do porte. Pessoas que não têm, ao meu ver, “senso de administração”.

Chamaria de senso de administração a habilidade intuitiva de administrar. Aquele jeitinho que certas pessoas têm de lidar com as outras fazendo com que elas trabalhem para o bem da instituição, mesmo sem ter tido qualquer lição acadêmica de como fazer a correta gestão dos funcionários.

Vemos muitos exemplos contrários ao senso de administração em orgãos públicos e empresas familiares. Na esfera pública, geralmente acontece aquela (não boa) e velha politicagem, que coloca em altos cargos pessoas que não têm qualquer noção de como fazer para que os cloaboradores exerçam suas tarefas de forma tal que a organização progrida sempre. No lugar da evolução vem a degradação do bem público e os gastos exorbitantes, quando os escolhidos para administrar tão importantes empresas usam-na para o bem próprio e jogam nosso suado dinheiro na vala.

Quanto às empresas familiares, creio que todos conheçam um ou outro caso de algum estabelecimento fundado por uma família onde o dono nomea a mulher como diretora, mesmo ela não entendendo nada vezes nada do negócio, ou quando uma empresária confia ao seu filho, formado em astronomia, a administração de uma filial de sua rede de lojas de peças de moto. Existe por trás disso a boa vontade e esperança de que, aos poucos, tais pessoas iriam “pegar o espírito da coisa” e conseguiriam gerenciar satisfatoriamente. Pois eu digo que “pau que nasce torto nunca se endireita”, e se essas pessoas demonstram claramente que não iram tocar o negócio da forma certa, não é amanhã que elas dormirão astrônomas e acordarão administradoras.

Por outro lado, existem casos em que profissionais de áreas totalmente diferentes da administração têm plena e total condição para gerenciar qualquer empreendimento, pois têm dentro de si um apurado senso de administração. Vou além: conheço, inclusive, pessoas que não têm graduação nem curso técnico na área de negócios, mas que colocam no chinelo muito administrador formado que está perambulando por aí (abraço ao amigo Roberto Lima).

Então, peço encarecidamente, pelo bem da nação administradora, que, quando for escolhida uma pessoa para assumir um cargo onde a mesma terá de gerenciar sistemas, pessoas, rotinas, adversidades e outros desafios que um administrador nato tem de superar, que seja ela uma pessoa que tenha realmente as qualidades e características básicas de um verdadeiro gestor, sendo ela formada em administração ou não. Dessa forma, seria melhorada a qualidade da administração no Brasil, e a profissão ganharia muito com isso, consequentemente as empresas.

Gabriel Galvão: www.administrando.wordpress.com e www.admemdebate.blogspot.com

———

Mais um texto enviado por nosso querido Leitor Gabriel Galvão!!

Mande você também seus artigos!! o E-mail é sobreadm@hotmail.com

Obrigado!!

2 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Gustavo!

    Obrigado pela oportunidade.

    A todos:

    Vamos escrever e debater sobre administração. Só assim poderemos melhorar e contribuir para a evolução da ciência.

  2. […] para mais um texto produzido por mim e publicado pelo grandioso Gustavo no não menos grandioso SobreAdm. Nele falo sobre o “senso de administração”, que deve estar presente em todos os […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here