Olá pessoal! Um dos temas mais estudados dentro da Teoria Geral da Administração é, com certeza, as Escolas da Administração. E hoje vamos falar um pouco sobre uma das mais famosas escolas: a Escola das Relações Humanas. Bem como sobre a difundida Experiência de Hawthorne, confira:

Escola das Relações Humanas

A abordagem humanística surgiu em 1929, no momento em que a Teoria Administrativa passava por uma revolução conceitual: a transferência do foco antes posto na tarefa (através da Administração Científica) e na estrutura organizacional (como na Teoria Clássica) para a ênfase nas pessoas que trabalham e participam das organizações.

Foi esta abordagem que fez com que a preocupação com a máquina, com o método de trabalho e com a organização formal pudessem dar espaço para a preocupação com as pessoas e os grupos sociais (tanto no aspecto psicológico, quanto no sociológico). Esta transição ocorreu, principalmente, a partir da década de 1930, nos Estados Unidos, impulsionada pelas modificações no cenário social, econômico e político, em função da grande depressão econômica ocorrida em 1929. A partir daí a preocupação principal passou a ser buscar a eficiência nas organizações.

A Teoria das Relações humanas impulsionou a abordagem humanística através do desenvolvimento das ciências sociais, principalmente da Psicologia e da Psicologia do trabalho, a qual passou por 2 etapas:

Análise do trabalho e adaptação do trabalhador ao trabalho
Esta etapa é caracterizada pelo domínio do aspecto meramente produtivo, onde era realizada a análise das características humanas que cada tarefa exigia de seu executante.

A adaptação do trabalho ao trabalhador
Nesta etapa, a Psicologia esteve focada em aspectos individuais e sociais do trabalho, que predominam sobre os aspectos produtivos (pelo menos em teoria). Os temas predominantes foram o estudo da personalidade do trabalhador e do gerente, a motivação e os incentivos do trabalho e a liderança.

Experiência de Hawthorne – um marco na Escola das Relações Humanas

Pode-se dizer que foi após a experiência de Hawthorne que efetivamente a Escola das Relações Humanas ganhou notoriedade.

A experiência de Hawthorne (realizada no bairro de mesmo nome, em Chiago) foi conduzida pelo médico e sociólogo Elton Mayo. Consistiu em testes realizados em uma linha de produção onde descobriu-se que uma gama de variáveis poderiam influenciar positivamente ou negativamente a produtividade dos funcionários. Dentre essas variáveis estão a luminosidade do local de trabalho, o trabalho em grupo, a qualidade do ambiente de trabalho etc.

Após o término da experiência, Mayo a descreveu afirmando que o cuidado com os aspectos sociais era favorável aos empresários.

Críticas à Teoria das Relações Humanas

Com o decorrer do tempo, surgiram algumas críticas à Escola das Relações Humanas, tais como:

– Visão inadequada dos problemas de relações industriais – em alguns aspectos a experiência de Hawthorne foi insegura, artificial e mesmo tendenciosa.

– Oposição cerrada à teoria clássica – Tudo aquilo que esta preconizava, a teoria das relações humanas negava.

– Limitação no campo experimental e parcialidade nas conclusões levaram gradualmente a teoria a um certo descrédito.

– Concepção ingênua e romântica do operário.

– Ênfase exagerada nos grupos informais colaboraram rapidamente para que esta teoria fosse repensada.

– Enfoque manipulativo e demagogo foi percebido e identificado pelos operários e seus sindicatos.

Ao receber tantas críticas, a Teoria das Relações Humanas precisou de uma reestruturação e eis que surge a Teoria Comportamental, que vamos abordar nos próximos posts.

E vocês? Já tinham ouvido falar sobre a experiência de Hawthorne? E sobre a Teoria das Relações Humanas? Acham que é importante a valorização dos funcionários nas empresas? Deixe seu comentário!

14 COMENTÁRIOS

  1. Acredito que o homem, ser humano, trabalhador, há de se valorizar a cada dia pela suas potencialidades humanas e cognitivas. Apesar desta motivação interna, as organizações deverão promover possibilidaes de acesso a estas concepções.

  2. essas informações estão me ajudando bastante pois vou ingressar na faculdade agora e estou muito animada pra conhecer mais e mais essa área que vou estudar que é administração. muito interessante mesmo valeu..

  3. A TEORIA QUE SE PREOCUPA COM O SER HUMANO É MUITO BOA MAS AS PESSOAS NAO PENSAM NESSE TIPO DE COISA, ESTAO LIGADAS AO DINHEIRO MAIS NADA.

  4. Gostaria de saber exemplos concretos nas empresas que praticam a teoria classica e empresas que praticam a teoria humanística.
    Grato.
    27 de agosto de 2014

  5. A teoria das Relações Humanas foi de muito importância para o trabalhador, pois com ela se viu que o empregado alem das suas técnicas e administração tambem é um ser humano com necessidades e interesses.

  6. com certeza por que são os operários que fazem todo trabalho as empresas depende tanto deles quanto eles da empresa

  7. Prof. Melo, MSc – Professor Universitário.
    Tanto a teoria da Administração científica de Teylor, como a teoria Clássica de Fayol, foram criadas para aumentar a produção das indústrias, aproveitando-se da expansão industrial com advento da revolução industrial, impulsionada pela invenção da máquina a vapor. Neste cenário o operário era considerado como uma engrenagem do sistema, como se fora uma parte das máquinas, isso foi objeto de duras críticas dos tratadistas humanistas, dentre eles Elton Mayo e Kurt Lewin, precursores da teoria das relações humanas, que se opuseram fortemente aos tratamentos desumanos a que eram submetidos os operários das indústrias na busca de resultados. A teoria das relações humanas trouxe revelações importantes para a administração contemporânea, principalmente que o operário visto como ser humano rendia mais e produzia melhor e principalmente passava a ser parceiro da empresa ao invés de ser considerado como ferramenta indispensável ao seu desenvolvimento.

  8. Sem dúvida, a experiência de Hawthorne trouxe “novos olhares” para todo o cenário organizacional na época. Descobriram que, através da relação humana, conseguiriam maior produtividade, A partir deste prisma, inúmeras outras teorias “motivacionais” vieram em grande escala. Entretanto, o termo “humanizando a empresa”, na minha concepção é um pouco forte. Dentro de um processo capitalista, cuja produtividade e o lucro são os fatores chaves para o sucesso, não existe empresa “humanista”. Existe empresas com “interesse humanístico” para conseguir, em troca, maior produtividade e maior lucro.

  9. GOSTARIA DE SABER QUAL FOI A PRINCIPAL CONTRIBUIÇÃO DO MODELO HUMANISTICO PARA A EMPRESA?
    É CORRETO DIZER QUE FOI A PSICOLÓGIA HUMANISTA?
    SOU ESTUDANTE DO 1º SEMESTRE DO CURSO TECNOLOGO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS.

  10. Trabalho numa grande empresa produtora de aço essa teoria das relações humanas só acontece na teoria na pratica o que acontece é o Taylorismo e Fordismo ou seja “Manda quem pode obedece quem tem juízo”

  11. trabalho numa grande empresa produtora de aço essa relações humanas la fica só na teoria o que prevalece é o Taylorismo e Fordismo ou seja Manda quem pode obedece quem tem juízo!

  12. O objetivo principal das empresas é o LUCRO e o que gera esse capital são os funcionários, mas em geral essa mão obra não e valorizada por vários motivos baixa escolaridade, muita oferta de mão obra não especializa, as empresas não querem investir em seus colaboradores com receio de perde los para os concorrentes, muitos gerentes despreparados para o momento atual da crise econômica e trabalho como se fossem ditadores da era moderna..

DEIXE UMA RESPOSTA