Você já parou para pensar como a Engenharia de Segurança do Trabalho é capaz de salvar vidas todos os dias? Atividades de risco só são seguras devido a atuação eficaz desses profissionais.

A correta manutenção e utilização de todos os equipamentos necessários para trabalho em altura, por exemplo, só é possível devido as orientações desses engenheiros.

Como tornar o trabalho em altura mais seguro

Qualquer atividade realizada acima de 2 metros em relação a superfície de referência e que ofereça risco de queda, é considerada trabalho em altura. Ou seja, essa distância pode ser tanto para cima quanto para baixo.

Por exemplo, quando um profissional desce vários metros para realizar manutenção em um poço profundo, a tarefa também é considerada trabalho em altura.

instituto-sc-trabalho-em-altura

Obrigações dos empregadores

Existem mais riscos de acidentes quando se trabalha a muitos metros de distância do solo.  Por esse motivo é obrigação do empregador zelar pela segurança dos funcionários.

Prevenção é prioridade

Em 2014, o Ministério do Trabalho estabeleceu  novas regras para garantir melhores condições para quem trabalha em altura. A NR 35 prevê que o trabalhador só pode começar as atividades quando todas as medidas de precaução já tiverem sido aplicadas. Além disso, o empregador precisa capacitar o colaborador para a função.

Supervisão de Engenheiro de Segurança do Trabalho é necessária

A NR 35 também obriga que todo trabalho em altura seja supervisionado por um profissional capacitado. No caso, o mais indicado é um profissional de Segurança do Trabalho.

Antes das atividades começarem, esse engenheiro precisa checar todas as condições de trabalho, verificar se todos os equipamentos estão em perfeito estado e se as instalações não oferecem mesmo nenhum risco para o trabalhador.

Além disso, o supervisor deverá explicar, de forma clara, aos funcionários como realizar o trabalho em altura corretamente e em segurança.

Equipamentos de Proteção Individuais (EPI) para trabalho em altura

Os supervisores também precisam garantir que todos os colaboradores façam uso correto dos EPIs. No caso específico do trabalho em altura, esses equipamentos de proteção incluem acessórios que também são utilizados em esportes radicais como, por exemplo, mosquetões de aço, cordas e itens para sistemas de ancoragem.

Confira outras obrigações do empregador com a norma regulamentadora NR 35 em vigor:

  • Estudar, planejar e cumprir medidas de segurança cabíveis
  • Cumprir medidas de proteção
  • Atualizar informações sobre medidas de controle e riscos da atividade
  • Analisar previamente as condições do local onde o trabalho em altura será realizado
  • Providenciar Análise de Risco conforme a NR 35
  • Emitir Permissão de Trabalho (PT) sempre que for necessário
  • Desenvolvimento de procedimento operacional
  • Documentos previstos na NR 35 precisam ser organizados e arquivados

Obrigações dos empregados

Todas as pessoas que realizam trabalho em altura também precisam obedecer as normas especificadas pelo Ministério de Trabalho por meio da NR 35. O uso de capacetes de proteção, além de todos os EPIs, é obrigatório. Confira outras obrigações dos funcionários:

  • Cumprir todas as obrigações regulamentadas pela NR 35
  • Colaborar com o empregador na implantação das regras determinadas pela norma reguladora
  • Zelar pela saúde e segurança no ambiente de trabalho
  • Evitar omissões e ações que possam gerar situações de risco
  • Em casos de evidências de riscos graves, interromper as atividades
  • Executar o que for determinado pelo empregador

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here