Você abre uma empresa, sobrevive a todos os desafios dos primeiros anos de atividade e consegue se firmar no mercado, isso é uma grande vitória, sem dúvidas. Porém, você percebe que a expansão começa a ficar arriscada por conta de um fator importante, seus concorrentes são muito poderosos e estão planejando uma nova expansão também. Nesta luta, a chance de vitória começa a se mostrar pequena e cabe ao empreendedor aceitar o desafio ou tomar a decisão que cada dia se torna mais comum, vender a empresa para um concorrente.

Para seu concorrente, assim como poderia ser para você, a compra de uma empresa já desenvolvida no mercado é uma opção bastante válida para uma rápida expansão, uma vez que você já herda todo o know-how desta empresa, bem como seus bancos de dados, clientes etc., o que pode ser de extrema importância para uma expansão de todo o grupo.

Porém, a venda de uma empresa nem sempre é fácil para o empresário. Querendo ou não, você assumiu muitos riscos e desafios para chegar até aqui, gastou parte gigante de seu tempo e disposição para criar e desenvolver sua empresa, e entregar ela nas mãos de um concorrente nem sempre é tão fácil assim. Mas, sob a ótica financeira esta prática de venda é uma das melhores opções, uma vez que quanto maiores forem as vantagens que sua empresa pode oferecer ao concorrente, maior será o preço cobrado por você a um possível comprador. Visto que se ele tem grande possibilidade de dominar o mercado ao comprar sua empresa, com certeza estará disposto a pagar um bom dinheiro por sua empresa.

Porém, alguns cuidados devem ser observados ao vender sua empresa, enumero os seguintes:

  • Sua empresa não é só maquinário e área física. A tradição de mercado, os bancos de dados, relações com clientes e fornecedores também são característica intangíveis que valem dinheiro, então coloque-as no papel na hora de calcular o valor de sua empresa.
  • Não aceite uma negociação onde tentem sair muito do valor satisfatório para você, seu concorrente tem mais a ganhar que você.
  • Seja orientado por um bom advogado, isto pode evitar problemas e mais problemas em um momento que já não é muito agradável para o empreendedor. Olho vivo!
  • Cuidado com cláusulas de não-concorrência: Capitalizado após a venda de sua empresa, você pode seguir o ímpeto de abrir um novo negócio nas mesmas características do anterior, porém muitas vezes você deve respeitar um tempo de não concorrência estipulado em contrato. Desrespeitar esta regra pode lhe trazer sérios problemas.

E você, já passou por estas situações de compra ou venda de uma empresa? O que tem a nos contar? Comente!

4 COMENTÁRIOS

  1. Fala Cláudio,

    Parabéns pelo post, mas se me permite um aparte, acrescentaria um GRANDE alerta: Cuidado para QUEM você vai vender a empresa.

    Parece óbvio, mas não é. Já advoguei em casos que o VENDEDOR da empresa foi condenado a pagar direitos trabalhistas do empregado do COMPRADOR da empresa. É ilegal, mas o caso é real.

    Não venda sua empresa para qualquer pessoa e POR FAVOR contrate um bom advogado.

    • Realmente Henrique, um bom advogado é extremamente importante tanto que friso isto no texto, sem ele tudo pode ser mais dificil, mais muito obrigado pela contribuição.

  2. Minha pergunta é.
    Meu concorrente tem vendido pouco diante das minhas vendas, assim sendo, ele começou a adquirir meu produto para analisar e talvez copiar. Posso, nesse caso, me recusar a vender para ele?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here